05 dezembro, 2012

Recados, roubos e maçãs


As nicolinas continuam com o pregoeiro a desfiar o seu rosário de críticas. Depois chegam as prendas, em forma de pequenas maçãs, para oferecer às donzelas

O Pinheiro anunciou os festejos dos Nicolinos, isto é dos antigos estudantes do Liceu de Guimarães, com o estrondo dos tambores (recorde essa noite intrigante aqui). Mas as festas continuam com o Pregão de S. Nicolau, as Maçãzinhas e a Roubalheira: noite onde tudo pode ser roubado e vai parar à praça do Toural, desde balizas, carrinhos de compras de hipermercados, cartazes de gelados...


© Guimarães 2012 e Guimarães digital

São tradições seculares, tão enraizadas na memória colectiva, que a cidade-berço pretende candidatar as Nicolinas a “Património Oral e Imaterial da Humanidade” da UNESCO.

Hoje foi dia de Pregão e eu, longe do ninho, não pude assistir. Mas ainda assim posso descrever o que se passa cada ano. O declamador escolhido, pela sua voz pujante, apregoa em vários pontos da cidade a sua ladainha escrita em verso, com muitos recados e sátiras pelo meio, dirigidos a todos os quadrantes, criticando o aumento das propinas no ensino superior, o novo acordo ortográfico ou alguma obra na cidade. Aí vai um excerto do Pregão do ano passado:


© Guimarães 2012
















Acordai já, ó milenares vultos!
Ó Guimarães! Berço duma nação!
Tu que és cidade de homens cultos
Escuta hoje o antigo Pregão!
(…)
Ninguém zombará deste estudante
E quem alto zurrar será punido,
O que apregoo é muito importante
Nem um guincho, um pio, um zumbido!
Se não ao tanque de cabeça vais
Que nem te apercebes desse mergulho
O chafariz ao Carmo não volta mais
No Toural ficará p’ra nosso orgulho.

© Guimarães 2012

 (…)
Salvé, novo ortográfico acordo
Abaixo a repressão! Viva o Povo!
Agora, eu vou dando erro gordo
Convenhamos que era um estorvo.
Hei de dar erros até me fartar.
Pelo acordo, perdi-me de amores.
(...)
Venha o trovão e a tempestade
Serão aparados pelas baquetas
Deste toque ireis sentir saudade
Tal como do traçar das capas pretas.

O caminho do tempo tudo leva
Não tarda, agarrados às sebentas,
Lembrareis os amigos desta selva.
Agora abalroai às arrebentas!

E tu aí ó jovem Nicolino…
Açoita essas peles! Zás trás pás!
Mostra-me aquilo de que és capaz.
Façam da bravura nosso destino,
Siga o Pregão em total desatino!

© Guimarães 2012


Seguem-se as Maçãzinhas, de inspiração romântica, com um cortejo de carros enfeitados que percorrem a cidade (as escolas competem para apresentar o carro mais bonito).

Só os rapazes fazem o percurso, enquanto as donzelas assistem do alto das varandas onde recebem maçãs, espetadas numa estaca enfeitada com fitas coloridas. A menina recebe a maçã, retribui com uma pequena prenda, e assim nascem alguns namoros, porque a arte do galanteio é eterna e não escolhe idades.

Alguns estudantes, arrojados, deixam uma ou mais maçãs em cada praça pois... quem sabe em que esquina se esconde o amor?



13 comentários:

  1. Que tradição bonita, sobretudo as galanteadoras maçãzinhas! Rico pregão, pois então!
    Beijinhos, boa quinta!
    Madalena

    ResponderEliminar
  2. Gosto de ver tua pesquisa e resgate das tradições! Lindo! beijos,chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não foi grande pesquisa Chica, porque tudo se passa em Guimarães, na minha cidade... cresci a ver tudo isto. Na verdade, são as festas académicas mais antigas do país :)
      Beijinhos

      Eliminar
  3. que linda tradição... gostaria que aqui no Brasil tivéssemos mais cultura de preservar o passado...bjkas e ótimo final de semana
    tititi da dri

    ah! quanto as roupas, por incrível que pareça, as importadas sempre são mais baratas que as nacionais.... temos muito imposto aqui... essa é uma das razões por gostarmos tanto de produtos estrangeiros...sem contar a qualidade..nossos são mais caros e muitas vezes a qualidade é inferior... bjs, lindona!!!

    ResponderEliminar
  4. Faz muito tempo que meu marido e eu estamos planejando uma viagem a Portugal. Pena que ests crise atrapalhou um pouco nossos sonhos...
    Quando meu decoder funcionava, gostava de ver a RTP Internacional e as imagens de Portugal, além de ficar ouvindo o sotaque de vocês, que gosto tanto :D
    Um beijo e boas festas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta crise está mesmo feia e não há meio de lhe vermos um fim... também eu queria viajar muito mais, Juliana :) Há tanto mundo para explorar.
      Beijinho e uma doce quadra natalícia

      Eliminar
  5. Que bom saber mais destes costumes da sua terra!
    Eu nunca tinha ouvido falar sobre estes festejos. Interessante!

    Um abraço!

    ResponderEliminar
  6. Achei muito fofa essa tradição e todos com chapéu vermelhinho como se fossem as maças rs, bacana :D
    Beijos

    lolaporlola.blogspot.com

    Instagram: stephanieparizi

    ResponderEliminar
  7. Voltei pra agradecer teu comentário tão carinhoso e bondoso comigo! Obrigadão,beijos,linda semana!chica

    ResponderEliminar
  8. Matéria bacana Ruthiap. O resgate do passado é muito importante, especialmente se for para manter e, ou, preservar essa festa que demonstra muito da cultura!!!

    ResponderEliminar
  9. Hoje venho convidar-te a visitar o meu blog
    HISTÓRIAS DE ENCANTAR
    , onde, excepcionalmente, acabo de publicar um post.
    Desde já fico muito grata.
    Beijinhos

    PS - No próximo dia 14 haverá post novo em A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom Mariazita, gosto sempre tanto de a ler. Vou lá assim que tiver um momento de calma, porque a sua escrita merece ser saboreada sem pressas :)
      Um beijinho enorme

      Eliminar

«Viajar torna uma pessoa modesta – vê-se como é pequeno o lugar que ocupamos no mundo.» (Gustave Flaubert)

Obrigada por ler as minhas aventuras e ainda gastar um momento para comentar. A sua presença é muito importante para mim. Um abraço e até breve!